Orquídea

Aprenda dicas basicar de como fazer para sua orquídea vingar – Dicas e Cuidados

Com mais de 25 mil espécies originárias de diferentes partes do mundo, as orquídeas não podem faltar na casa dos entusiastas de um bom jardim. Afinal, elas conseguem se adaptar a diversos ambientes, são coloridas, exuberantes e ainda podem durar anos a fio se receberem os devidos cuidados.
Por isso, arregace as mangas e confira, a seguir, o que deve ser feito para que elas vinguem e fiquem sempre bonitas, saudáveis e vistosas no seu jardim.

Plantio em vasos – a maioria das orquídeas pode ser plantada/cultivada em vasos de barro ou plástico e cachepots de madeira pequenos e com furos, capazes de deixar as raízes mais aeradas e evitar o acúmulo de umidade. Para esse tipo de plantio, a dica é fazer uma espécie de dreno no fundo (dois ou três dedos) dos recipientes com cacos de telha, pedra ou argila. Depois, colocar um substrato poroso, preparado com fibra de coco, carvão ou casca-de-pinus, grãos de isopor, entre outros.

Cultivo em árvores – quando cultivadas junto aos caules de árvores, as orquidáceas devem ser fixadas com fibra de coco e amarradas no tronco com barbante do lado do sol nascente, para garantir a radiação solar na medida certa. “É importante colocar a muda na parte superior do tronco e dar preferência para aqueles que possuam uma leve inclinação. Dessa forma, a planta receberá mais água da chuva e todos os seus nutrientes”, indica Alexandre Fang, paisagista e professor do curso de Jardinagem do SENAC de São Paulo.

Aprenda dicas basicar de como fazer para sua orquídea vingar

Aprenda dicas básicas de como fazer para sua orquídea vingar (foto divulgação )

Luminosidade – apesar de se adaptarem bem tanto em ambientes internos quanto externos, as orquídeas não dispensam uma boa luminosidade. Por isso, devem ser colocadas em locais onde possam ser banhadas pelo sol no horário da manhã (até às 10 horas) ou no final da tarde (depois das 16 horas) para que haja o florescimento.

Ventilação – as orquídeas precisam de locais arejados para se desenvolver. “No entanto, deve-se evitar correntes fortes de ar para preservar a integridade da planta”, ressalta o paisagista.

Irrigação – é mais fácil matar uma orquídea por excesso do que por falta d’água. Por isso, a dica é manter o vaso sempre úmido e jamais encharcado. “As regas devem ser feitas duas ou três vezes na semana, sempre observando a umidade do substrato. Folhas e raízes também podem ser borrifadas para se manterem umedecidas”

Nutrição – na natureza, as orquídeas absorvem os nutrientes que escorrem pelo caule das árvores sobre os quais se apoiam, principalmente com as chuvas. Quando cultivadas em vasos, a fonte de energia pode vir de materiais como o carvão, rico em fósforo e ajuda no enraizamento e florescimento da planta. Para garantir os nutrientes necessários à sua orquídea, aplique Dona Flor Orquídeas em espécies cultivadas tanto em vasos como em árvores.

Pragas e doenças – quando cultivadas de forma adequada, as orquídeas ficam mais resistentes a pragas e doenças. No entanto, nos casos de contaminação, recomenda-se como primeira opção um manejo ecológico, que prevê a aplicação de calda-de-fumo com óleo vegetal (esse último adquirido em casas de insumos agrícolas) para combater o ataque dos pulgões e cochonilhas. “Além disso, existe a opção de defensivos de uso doméstico”.

1 Comentário

Deixe o seu comentário