Orquídea

Qual a luminosidade ideal para a sua orquídea?

Você acha que esta orquídea está no local ideal?

O que você pode dizer sobre a luminosidade que ela recebe, só olhando para a foto?

orquídeas

Na verdade esta orquídea não estava no local apropriado, o ambiente que ela estava tinha luminosidade maior do que ela precisava.

Percebe-se isso pelo tom das folhas, que estão verde-amarelado.

Agora observe a diferença, comparando essa orquídea a outra que estava em um local com luminosidade ideal:

Você consegue perceber a diferença de tonalidade entre as folhas dessas duas orquídeas?

A da esquerda está com tons claros e amarelados, a da direita, está com um bonito verde-folha.

orquídeas

A luminosidade é um fator importante na saúde das orquídeas.

No caso desta orquídea da foto, ela não estava sob exposição direta ao sol.

Se estivesse, você notaria queimaduras nas folhas, ou seja, manchas.

Mas estava em local muito claro e o excesso de claridade prejudica o desenvolvimento da planta, inclusive pode atrapalhar na floração.

Em geral, orquídeas não se adaptam a exposição aos raios solares.

A maioria, prefere estar a meia-sombra: embaixo das árvores, sob proteção de sombrite, em na varanda que não recebam o sol alto …

Apenas algumas espécies vivem bem recebendo sol direto.

Para saber a quantidade ideal de luz a sua orquídea, você precisa identificar o gênero dela e muitas vezes a espécie, pois em gêneros como Laelia e Dendrobium, por exemplo, a luminosidade varia bastante entre as espécies. Algumas podem suportar o sol direto e outras devem ficar a meia-sombra. E estamos falando de plantas de mesmo gênero!

Identificando a sua orquídea você poderá escolher o local mais adequado para deixá-la.

Um fato é, a luminosidade pode variar entre os exemplares, mas resumindo,  raras são as orquídeas para cultivo direto sob o sol.

A planta da foto é uma Cattleya.

Cattleya é um gênero que gosta de luminosidade, mas esta, estava em local muito luminoso.

As orquídeas falam, só que da forma delas.

Quando as folhas ficam claras demais, significa muita luz. Folhas com verde muito escuro, indicam pouca luz e, se a luminosidade estiver muito baixa, além do tom das folhas, o substrato começa a apresentar mofo (pontos esbranquiçados) em toda a superficie do vaso.

Se as folhas e ou bulbos ficam ressecados ou moles, indica rega insuficiente.

Então basta observar o desenvolvimento da sua orquídea para saber se o local e os cuidados estão de acordo com o que elas precisam para o bom crescimento.

É fundamental também estudar cada espécie, pois o tipo de cultivo varia bastante.

Entre todos os gêneros, a luminosidade ideal pode variar de 30% a 80%.

Em caso de orquidários, a escolha do tipo de sombrite usada na cobertura, irá variar não só pelo gênero e espécie, mas também para a região onde fica localizado.

Cattleya – Gosta de boa luminosidade, mas sem luz direta.Ainda sobre luminosidade, podemos destacar o seguinte:
Phalaenopsis – Não suportam a luz solar direta nos horários mais quentes. A proteção varia conforme o local, por exemplo, a indicação do sombrite pode variar a uma proteção de 50 a 70%, ou mais. Para ser mais direta, gosta de menos luminosidade que as Cattleyas. Em um orquidário, você pode colocar as Cattleya em prateleiras mais altas e as Phalaenopsis nas mais baixas.
Dendrobium – A maioria tolera alta luminosidade, inclusive, pode receber luz solar de forma direta no início da manhã. Em geral, aprecia luminosidade de 60%.

Oncidium – Apreciam luminosidade em torno de 50%.
Paphiopedilum – A luminosidade pode variar entre 60 a 70% em climas amenos e mais a meia-sombra em climas quentes.

Vanda – Gosta de muita luz solar, e precisa de boa luminosidade para florir. Um dos maiores casos de falta de floração é devido a baixa luminosidade.
Laelia – O grau de luminosidade varia muito entre plantas deste gênero. Algumas precisam estar a pleno sol, como o caso das que vivem entre rochas. Já outras, devem ser cultiva em ambiente com pouca luminosidade, nesses casos estou me referindo as espécies da Mata Atlântica.

Lembrando que, os percentuais são dados de base, mas que podem variar de acordo com a região. O sombrite usado para uma espécie no Sul do Brasil não é o ideal para a Região Nordeste, devido à variação da intensidade da luz.

5 Comments

Deixe o seu comentário